terça-feira, 26 de junho de 2012

Contos Eróticos - O Taxista Tarado




Contos Eróticos - O Taxista Tarado


 Após um evento na faculdade  fui com a turma a um barzinho já era tarde e eu já tinha bebido um pouco nada demais. Eu não aceitei carona de ninguém e fui para o ponto pegar um bus eu tinha ido sem meu carro. Mas nem fazia idéia da hora exatamente.

Eles foram embora e eu não saio com ninguém de carro que tenha consumido álcool.

Pois bem fiquei ali no ponto tinha umas 4 pessoas eu estava de terninho claro decotado mas bem vestida e de salto. Todos já tinham pegado seus ônibus e o meu não chegava. Estava perto também um ponto de taxi mas eu não tinha muita grana e não tinha idéia de quanto seria a 
corrida até por que minha casa não era tão perto assim.

Mas no ponto de taxi tinha um senhor que ficava me olhando e depois de um tempo dentro do carro parecia que ele estava até se masturbando eu fiz que não tinha percebido.

Derrepente ele chegou com o carro no ponto e me perguntou se eu não queria ir de taxi por que provavelmente não tinha mas ônibus naquele horário. Eu fiquei nervosa e respondi que não tinha grana. Ele respondeu que faria baratinho pra mim até por que era muito perigoso eu ficar sozinha na rua. Eu sorri e aceitei entrei no carro eu ia sentar no banco de trás mas ele fez questão que eu me sentasse na frente.

Fui ao seu lado ele foi calado e de vez enquanto olhava meus peitos e sorria com cara de safado. Eu senti um tesão por saber que ele estava me desejando. Então eu perguntei quanto ficaria mais ou menos a corrida por que eu não tinha muito
dinheiro. Ele respondeu com um sorriso que o que eu tinha ia dar com certeza. Foi quando ele estacionou o carro próximo a um campo de futebol um lugar deserto e escuro ele me olhava com cara de desejo deveria ter uns 40 anos. Ele começou a falar que fazia algum tempo que não catava uma mulher que era casado mas a mulher dele era gorda e não curtia sexo e que precisava muito ver uns peitinhos como o os meus e que se eu mostrasse minhas tetas pra ele eu não ia precisar pagar nada. Eu comecei a desabotoar a minha camisa e ele começou a abrir as calça ele disse que não era pra eu ter medo por que ele só ia bater uma punheta olhando para minhas tetinhas. Quando coloquei minhas tetinhas pra fora ele olhou que chegou a gemer e pediu pra tocar eu permiti ele se masturbava com uma mão e tocava meus peitos com a outra aquilo estava me deixando toda ecitada, eu coloquei minha mão no pau dele que era enorme e ele adorou e disse que achava que eu não ia ser tão fácil daquele jeito e eu respondi que só estava pagando pelo serviço dele.

Eu batia uma bela punheta pra ele e ele mamava meus peitos e eu toda ecitada baixei a cabeça e mamamei bem gostoso aquela rola ele quase gozou na minha boca foi quando eu pedi pra ele sentar no banco de trás e assim ele fez e ficou bem no meio enquanto isso eu tirei minha calça e fiquei so de calsinha sentei de costas pra ele entre o vão dos bancos da frente e esfregava minha bunda na cabecinha da pica dele e ele continuou batendo punheta com uma mão e com a outra ele rosava minha xoxotinha e ele percebeu o quanto estava inchadinha e a minha calsinha meladinha ele colocou minha calcinha de lado e passava o dedo na minha xana e no meu cuzinho e falava que rabão gostoso que vontade de comer essa bucetinha que esta louca pra levar pica e eu comecei a rebolar no pau dele e ele massageando meu clitóres e não agüentei sentei de vez naquela pica ele ficou louco uivava eu sentava com força que pica gostosa grande e grossa ele não se continha me chamava de putinha gostosa e que não estava agüentando e ia gozar e eu respondia que queria porra na bucetinha rebolava e sentava e dizia pra ele isso fode minha xoxota não era isso que queria me comer gostoso  safado ele respondia que eu era muito apertadinha e que estava gozando gostoso e senti os jatos de porra nossa era muita porra escorrendo na minha bucetinha então ele tirou o pau pra fora meio mole eu me sentei de frente pra ele e ele segurava minhas tetinhas com as duas mãos e ficava admirando meu corpo e logo a pica dele ficou dura até que o velho tinha uma pica que trabalhava bem e eu perguntei se ele ainda estava com fome ele mamava minhas tetas e dizia que queria foder mais. Então dessa vez sentei de frente pra ele e fiquei cavalgando batendo as tetas na cara dele eu gozei gostoso ele bombava que era uma delicia e gozou novamente e muito na minha xaninha. Nos arrumamos e ele me deixou em casa me deu seu cartão e me disse que sempre que precisar de um taxi que eu poderia por que eu já sabia o preço da corrida. Adorei taxista gostosao  gostosão










segunda-feira, 18 de junho de 2012

Contos Eróticos - Eu e minha amiga na Siririca




Contos Eróticos - Eu e minha amiga na Siririca


Estava conversando com uma amiga pelo msn, que era de minha sala na escola e ela me disse que estava começando a tocar uma siririca, foi aí que tudo começou. Fiquei muito assustada com aquilo e perguntei o que era. Ela me explicou de forma meio atrapalhada, mas deu para entender o que era. Ela me disse que era muito bom, que dava muito tesão, e que eu deveria experimentar. Fiquei curiosa, mas mudamos para outros assuntos e acabou que isso nem passou mais pela minha cabeça.



Certa vez fui dormir na casa dessa mesma amiga, em uma cama ao lado da sua. Quando cheguei na casa dela, vi que estávamos nós duas sozinhas, nao tinha mais ninguém, ela abriu a porta apenas de calcinha e sutiã, e me convidou para entrar.

Perguntei aonde estava todo mundo, ela disse que eles saíram para ir no supermercado e nao voltavam tao cedo. Logo ela me chamou para o seu quarto, onde disse que me mostraria o que é uma siririca, porque eu precisava aprender o que era isso.

Fui até seu quarto, ela abriu no computador um vídeo de uma mulher tocando um siririca muito gostosa, que a fazia gozar de tesão. Fiquei espantada vendo aquilo, mas ao mesmo tempo com muito tesão, minha bucetinha estava molhadinha.



Minha amiga ja estava pelada em minha frente e disse para eu fazer o mesmo. Tirei a roupa com um pouco de timidez, ela me pegou pela mão e me fez deitar na cama que fica ao lado da dela.



Ela abriu bem as pernas, mostrando a sua xoxotinha para mim, colocou sua mão em cima dela e disse para eu olhar como que tocava uma siririca. Ela começou devagarzinho, alisando sua buceta com a palma da mão, depois passava o dedinho em cima dela, isso me enchia de tesão, e passou a friccionar dois dedos contra seu clitóris e ja começava a gritar de praazer, eu estava ali, parada, atônita com aquela situação, parecia que eu ia enlouquecer, queria experimentar aquilo também. Ela parou, olhou para mim e perguntou se nao eu ia fazer também, porque era muito gostoso.



Então resolvi começar, me deitei na cama, abri as pernas, coemcei a passar a mao pela minha buceta, acariciar meus seios, fui esquentando, passei um dedo nela, comecei a apertar meu mamilo, o tesão tomava conta de mim, passei a friccionar a buceta com 4 dedos, o tesão ia aumentando, passava a fazer mais rápido, e minha amiga ao lado louca de tesão também, continuava naqueles movimentos frenéticos, estava louquinha de tudo, nunca havia experimentado aquilo, era bom demais! Aumentava o movimento, diminuia, tocava com força meu clitóris, passei a colocar o dedo indicador dentro da minha buceta, enfiava e tirava, como se estivesse sendo penetrada, me coloquei de quatro, e com a mão passando por debaixo de mim tocava minha buceta, tocava a primeira siririca de minha vida, era muito tesão para mim, finalmente, depois de um grito incontrolável, dei meu primeiro gozo da vida, gozei muito, fiquei estasiada, nao sabia o que acabara de acontecer, olhei para o lado e minha amiga ainda se masturbava, estava louca também, até que logo ela gozou e deu um sorriso.

Estavámos estasiadas de prazer para nossos jovens corpos, ela me perguntou o que achei, disse que era uma sensação maravilhosa, e passaria a fazer sempre agora, ja que descobri esse prazer, me vesti e fomos dormir porque estávamos muito cansadas.

Foi com esta amiga que aprendi (e ensinei) muitas sacanagens, além de ter sido a minha primeira tranza lésbica com ela. Mas isso é assunto para outra hora.


sábado, 9 de junho de 2012

Contos Eróticos - O Pai da minha Amiga


Contos Eróticos - O Pai da minha Amiga


Eu era mocinha e vivia pra cima e pra baixo com uma amiga mais nova e a gente sempre pedia grana pro pai dela que tinha uma empresa a  duas quadras da minha casa.

Nos duas íamos pro colégio quase todo dia éramos unha e carne sendo que a mae da minha amiga era uma religiosa fanatica, já o  pai super liberal e brincalhão. A gente ate brincava com ele que o mau da mãe dela era uma boa trepada, mais só que a mãe dela não deixava mais o pai dela transar com ele e nos sabíamos q eles costumava ir a puteiros pois nada escapava da gente.



Até que um dia eles brigaram feio que a mãe da minha amiga não deixou 
ela sair e nem ver o pai então eu fiquei meio de pombo correio, eu o chamava de tio e ele me dava uma graninha pra repassar pra filha dele e ate fui alertada pela mãe dela que se eu tivesse falando com ele que brigaria comigo, pois pensei comigo nada haver aquilo. Ate certo dia que  eu comecei a perceber um olhar de maldade dele comigo pois falou se eu não fosse a melhor amiga da filha dele iria pedir pra os meus pais pra namorar comigo, ai eu cinica perguntei: pra que pedir pra namorar pois o que é bom e escondido, ele deu uma gargalhada e deixei ele rindo e fui pra escola.



Já no outro dia ele falou que tinha um presente pra dar pra filha dele e comprou um pra mim também era um tênis de marca, fiquei super feliz e já fui logo colocando nos pés e nisso ele vem mais perto e encosta sua pica no meu ombro e já ai caiu minha ficha e falei pra ele que estava muito levado, e perguntei quanto tempo ele não comia alguém, e ele me falou que tinha mais de um mês, pois eu já nessa época tinha meus namoradinhos escondidos que satisfaziam meus prazeres.




Então de cara perguntei se ele tinha camisinha e ele falou que não e eu justo naquele dia também não tinha nenhuma. Já que estávamos sozinhos fomos pra um quartinho que tem duas portas e se alguém aparecesse eu sairia pela outra porta, sentei numa cadeira e ele tirou a pica (uns 16cm) pra fora e vi que ele havia lavado pois senti um cheirinho de sabonete, cai de boca e fiz uns dos melhores boquete que já fiz na minha vida com direito a chupada de saco e tudo, ele gozou tudo na minha boca mais não tive coragem de engolir e cuspi no chão, e assim que ele gozou chegou gente e eu sai pela outra porta.



No colégio fiquei com um fogo na buceta e aquela pica não sai da minha cabeça e por sorte liberaram a gente cedo das aulas e fui correndo em casa peguei uma camisinha que eu tinha escondido no quarto troquei de roupa só ficando de saia longa e um top. e fui ver se ele estava ainda 
trabalhando e por sorte ele estava mais tinha uns cliente com ele. 

E naturalmente ele me recebeu e mandou ate comprar cerveja e refrigerante no bar ao lado pra ele e fui e quando voltei os clientes já haviam saído. 



Ai só em ver a camisinha que mostrei no sapatinho pra ele ver, e ele me mandou ir pra um quartinho no andar de cima. Pela janela vi que ele tava chamando um outro menino pra olhar as coisas pra ele que ele iria ao banheiro, e eu comecei a ficar nervosa mais a minha bucetinha falava mais alto. 



Ele chegando me debrucei na mesa ficando de costas pra ele, levantei minha saia e ele puxou minha calcinha de lado e sem conversa colocou a camisinha e com aquele pau duro, e só de encostar a cabeça na entradinha eu senti um cala frio, ele veio com todo cuidado e foi enfiando no vai e vem pois a minha bucetinha já estava toda molhadinha, naquela posição ficamos uns 10 minuto ate que ele gozou, nossa ate hoje eu amo ver um homem gozar ainda mais dentro de mim. 



Depois desse dia dei pra ele mais umas 3 vezes e só parei de dar pra ele porque arrumei um namorado que me apaixonei e minha amiga voltou a andar comigo e não dava pra fazer com ela na cola mais até hoje ninguém soube do nosso segredinho.



terça-feira, 5 de junho de 2012

Contos Eróticos - Filho da empregada



Contos Eróticos - Filho da empregada



Tudo aconteceu quando minha mãe trabalhava e a empregada tinha ido pagar algumas contas, e deixado seu filho em casa comigo. Ele estava no hospedes e eu estava no computador, então resolvi sair e fui assistir TV. 


O dia esva  muito quente, e Michael( filho da empregada) havia ficado só de cueca. Quando me deparei com aquilo fiquei hipnotizada, olhando para aquela rola que eu sempre desejava.



Então percebi que ele estava começando a se excitar e resolvi tocar naquele mastro. Eu fiquei massageando e quando dou conta ele esta me olhando com uma cara de safado, e me perguntando se tava gostoso eu tocado na pica dele.



Eu como já não tinha nada a perder disse que sim e que queria chupa-lo, ele disse que sim e que eu ia ser a putinha dele hoje.



Eu nunca tinha visto a pica dele, mas na hora que bati o olho me apaixonei. ela era um pouco grande e grossa e tinha uma cabeça bem vermelhinha.eu começei um boquete delicioso nele tirando grandes gemidos. Depois de um tempo chupando aquele delicia, ele mandou eu parar e ficar de quatro na cama, eu fiz isso sem pensar duas vezes. Ele deu uma cuspida no meu cuzinho que estava piscando a espera daquela pica, então começou metendo 3 dedos logo de uma vez pra vê se eu aguentava.



Depois ele meteu a pica dele no meu cuzinho sem dó nem piedade, fudendo meu cuzinho bem gostoso, e eu gemendo feito uma putinha e rebolando naquele pau.



Me fez cavalgar bem gostoso, até que quando ele estava para gozar colocou minha boca na pica dele e esporrando jatos e jatos de porra na minha boca, mandando eu tomar tudinho como uma putinha obediente. Depois disso estava morto de cansaço então ele me puxou novamente e começou a me fuder de novo agora mais forte.

Fomos pegos no flagra pela mãe dele, mas isso eu conto outro dia.